Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



terça-feira, 4 de agosto de 2009

A fita

.


Rita punha ao cabelo
Uma fita vermelho-sangue
Enrubescia seus cabelos pretos
Afogueando sua aura,
Denunciando sua alma
De um mesmo tom!
Como era sedutora a Rita,
Talvez expunha
Na cor da fita
Que unia seus cabelos,
A cor de si!
E a fita que prendia
Os cabelos de Rita
Presa em minhas mãos...
Um vermelho-sangue
Desfalecido, amarelado, como tudo que vence os anos
E resiste!
Como tudo que teima em ter vida
Depois de tudo vivido
E ainda prende-se
Agarra-se em uma fita
E faz-me lembrar Rita
A fita em laço desfeito
Que desfiz dos cabelos de Rita
Fita-me
A mesma fita
Fita meus olhos, fita
Fita e verás onde está presa a fita de Rita
Que me fita
Com os mesmos olhos de Rita
Que têm marcas das mesmas marcas
Cravadas na fita...



Marluce Freire Nascasbez

Nenhum comentário:

Postar um comentário