Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



sábado, 19 de setembro de 2009

Quando é preciso florir!

.
.
.
.
Num jardim extinto
Decepei os espinhos,
Sangrei as mãos...
Feri-me!
Lambi as feridas...
Acreditei que do ventre roto da terra
Na qual semeei as sementes,
Há de porvir o perfume!
Há de florir o jardim,
Na estação que começa!






Marluce Freire Nascasbez

.
.

Nenhum comentário:

Postar um comentário