Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



quarta-feira, 24 de março de 2010

Borboleta




Em tuas asas tão pequeninas


Voam tantos sonhos meus...

Mesmo que não permitas

Pego carona em ti,

Perambulo aqui e ali...

Vejo-te

E sinto-me tão igual a ti

Voando os pensamentos meus...

Tão leves, somem ao espaço junto a ti!

Outros nem tanto,

Não tem abrigo em ti!

Tens uma beleza ímpar,

Próxima à luz!

Tua fragilidade,

A parecença com a liberdade!

Tu voas aqui e ali

E depois,

Junto a mim!

Nesses versos,

Que te cabem!

És pequenina,

Fecha tuas asinhas!

Caberás

Aqui!

Ficas presa a mim,

Assim também, a liberdade,

Borboleta!

.
.
Marluce Freire Nascasbez

.

Nenhum comentário:

Postar um comentário