Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



segunda-feira, 5 de abril de 2010

Sendo ave




Quando ave,
 a minh’alma arrasta a asa
 pela liberdade,
 arrebatado  pelo voo
bate asas um eu
que escondo debaixo da asa,
 não por alvedrio...  ... talvez,  proteção
mas sendo ave,
alça voo asas mil
que mesmo atingidas pelas fagulhas de pólvoras,
não se intimida,
leva nas asas a pólvora,
o combustível que incendeia-me
quando  escrevo
sendo ave!
.

Marluce Freire Nascasbez
.


Nenhum comentário:

Postar um comentário