Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



sexta-feira, 14 de maio de 2010

Foto: Marluce Freire Nascasbez
.
.
.
As flores de plástico


.


Dormem em um canto da sala
As flores de plástico!
.

Seja noite,
Seja dia,
Elas dormem... ...nunca acordam!
.


Nem meus pesados olhos pousados em suas pétalas
Interrompem seu sono...
.

E as flores mortas,
Irreais!?
(independentemente "do frio, do calor"),
Têm vida
Na sala!
.

Umas flores imortais
Que vencem os dias,
Que vencem as noites
E vivem nas carnes mortas do plástico,


.
Sem sementes...








.
Marluce Freire Nascasbez
.


Um comentário:

  1. Nao gosto de comentar qdo acabo de receber comentario, pq parece que se comenta por obrigação. Mas nao. Nao pude deixar de dizer-te, em versos jamais como os teus tão lindos, da realidade, da beleza, tão... apesar de tudo.
    Uma honra receber sua visita. Bjos floridos.

    ResponderExcluir