Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



quinta-feira, 22 de julho de 2010

COISAS DO MEU SERTÃO...

Imagem da web
.
.

 

 

Em dias de chuva

 

 


Em dias de chuva
Dona Maria não sai à porta, na rua, sem ela, as novidades envelhecem...
Ela corre com as bacias às biqueiras!
Valha-a Deus...

As roupas brancas, perdem a cor de branco sujo... tanta água nova...

__Olha a chuva seu Joaquim!
Seu Joaquim é pego de surpresa, toma banho, forçado...

Os meninos correm aos banhos... sorrisos lavados...

O verde acorda das árvores dormidas...

Os pássaros tiram a poeira das penas
Sofridas nos dias de pouca fartura no mato...

A roseira, na chuva,
Perde as pétalas, caídas ao chão,
A terra bebe água perfumada...


Assim é meu Sertão
Em dias de chuva...


Marluce Freire Nascasbez

9 comentários:

  1. Tão leve e lindo Marluce, parabéns!

    Beijinhos,
    Ana Martins
    Ave Sem Asas

    ResponderExcluir
  2. Oi Marluce!
    Lindo poema sobre o seu sertão em dias de chuva... Sabe que eu amo dias de chuva e acho que o que eu mais gosto neles é como vc disse o verde que acorda das árvores dormidas...
    Beijo grande viu!?

    ResponderExcluir
  3. Lindoooooooooooo Marluce.

    Minha amiga, vc enche a minha alma de poesia.
    Obrigada, sempre!!

    Um abraço meu!

    ResponderExcluir
  4. Qué belleza de agua de lluvia, lágrimas, ríos y mares.
    Qué belleza tu poesía hecha desde tu interior !!!

    Besos

    ResponderExcluir
  5. Parabens bello poema ;
    Obrigama Louisette del Belgica.

    passionate golden retriever, gatos chartreux.
    http://blog.seniorennet.be/louisette/
    http://retrieverhond.eigenstart.nl/

    ResponderExcluir
  6. E hj foi dia de chuva aqui, Marluce, não teve pôr-de-sol na praia, mas teve música de Nina Simone, leitura ainda sob as cobertas, chocolate quente, e, o sol aqui no seu poema...
    Uma boa semana! Bjs*

    ResponderExcluir
  7. Querida amiga

    Hoje estou passando para agradecer
    a sua amizade.
    Amizade que torna a vida preciosa.
    Que enche de cores as minhas palavras.
    Que me faz ainda mais feliz,
    com o afeto distribuído
    a cada visita,
    a cada comentário
    e a cada palavra escrita
    no livro dos meus dias.

    Sua amizade me faz melhor.

    ResponderExcluir
  8. Oi, Marluce,

    é assim o nosso sertão! Um SER ... TÃO cheio de esperança com as gotas poéticas da chuva. Belo Poema!!!

    abç

    Betha

    ResponderExcluir
  9. Querida Marluce!

    Voltei hoje aqui para reler este teu poema. É um dos mais belos que eu já li!
    Mas não apenas esse. A leveza, a simplicidade e a singeleza de todos eles, me encantaram...

    "A roseira, na chuva,
    Perde as pétalas, caídas ao chão,
    A terra bebe água perfumada..."

    Isto é de um lirismo incomparável!!!

    De onde vc saiu? rsss
    Amei estar aqui.

    Um beijo enorme.

    ResponderExcluir