Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



sábado, 21 de agosto de 2010

Coisas do meu Sertão

 .
.
.

                                                  Imagem do google
.
.



Meu coração é verde!





 

Meu coração sertanejo


É verde!


Nada nesse mundo


Ou quase nada,


Vai conseguir


Ressecá-lo,


Vai fazê-lo


Perder o viço,


Pois num coração sertanejo


Habita um guerreiro


Munido de esperança,


Mesmo depois do inverno,


Em pleno verão,


No qual o sertanejo


Sofre com o estio,


O coração é verde!



Nos tempos de maior sofreguidão,


O chão fica tomado de corações secos


Levados ao céu em redemoinhos


É o coração sertanejo


Jogado em prece


Aos pés de Jesus!


Meu coração é verde


Nas sementes ressequidas


Sob a terra


Mesmo em forma


De semente


Não perde a "fôrma" de coração!







Meu coração é verde!
.
.
.

Marluce Freire Nascasbez
.
.

15 comentários:

  1. Um belo manifesto à crença, à esperança...

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  2. Marluce, minha querida!!!!

    meu coração, também é verde!!!!

    Um abraço imensoooooo, dessa que te gosta muito!

    ResponderExcluir
  3. Um coração de amor acredita sempre..tem fé e força sempre....e jamais perderá o verde da esperança...beijos querida e um belo domingo pra ti.

    ResponderExcluir
  4. Marluce, poeta querida, que lindo poema! Nesse meu peito brasileiro/nordestino não se bate um coração verde...talvez de todas as cores, mas ele comunga com o seu 'coração verde'...
    Um bom domingo! Paz!
    PS: Coincidência(ou não), escrevi hoje um texto sobre um coração, postarei amanhã, dê uma olhada!

    ResponderExcluir
  5. Beijo carinhoso de otimo domingo e uma bela semana pra ti querida...

    ResponderExcluir
  6. Tomara que seu coração verde, plante muitas sementes de amor.
    Bjux

    ResponderExcluir
  7. Marluce, queridaaaaaaaaa!

    Obrigada pelos parabéns!!!

    Sua amizade sim, é um presente.
    Lindooooooooo!


    Um abraço meu!

    ResponderExcluir
  8. Adoro pessoas assim: que sempre estão começando!


    bEIJOS

    ResponderExcluir
  9. Beijo carinhoso de bom dia pra ti querida.

    ResponderExcluir
  10. .


    Antes era só alegria, você na
    minha página.
    Hoje é orgasmo puro...

    silvioafonso.

    Mais palhaço que poeta.




    .

    ResponderExcluir
  11. O meu também é verde,Marluce.As vezes há tempo de seca,mas é só um estágio né?Florece...sempre!
    Lindo pensamento!Me identifiquei!

    Também adoro muito teu blog viu?
    É sensível,poético.Inspira!!

    Um beijo com carinho,na alma!
    Uma ótima tarde pra ti :)

    ResponderExcluir
  12. Olá Marluce! Obrigado pela visita!!!
    Grata surpresa ao ver por aqui a esperança de um coração sertanejo! Como bom paulista, de nascimento, meu coração às vezes assume um tom de cinza, típico.
    Mas como bom mineiro, de alma e coração, há um tom de marrom em meu coração que sempre me remete à brincadeira na terra, à casa da avó, aos banhos de rio e a tudo que faz do caboclo sertanejo esse ser fervoroso, cheio de esperança, de coragem e de alegria...

    "Tem tanto amor verdadeiro que nunca vai faltar
    (...)No coração sertanejo é que é o meu lugar"

    ResponderExcluir
  13. Marluce, vim retribuir a visita e agradecer o comentário.

    Muito bom conhecer o teu blog, tão rico de literatura da boa, e este teu poema... Ah! nem podes imaginar como me identifico com ele! Pela ordem natural das coisas eu tinha que ser metropolitana... Tinha, mas não me considero: sou dos pés descalço na terra, do cheiro do mato, e do canto dos pássaros...

    Meu coração também é verde. Eu só nasci no lugar errado.

    Um beijo enorme, querida. Já te sigo.

    ResponderExcluir
  14. Marluce , vir aqui é também sair com o
    coração verde,
    Verde de esperanças , de garra e de fé !

    Lindo , me apaixono por tudo que escreves ...
    BjO Imenso e super feliz em te ter seguindo-me.
    Obrigada .

    ResponderExcluir
  15. Meu coração caipira adorou esse poema de uma que se diz sertaneja.


    Bj

    ResponderExcluir