Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



quinta-feira, 26 de agosto de 2010

.
.



                                                                       Imagem do google


Há um eu dentro de mim,

Que às vezes arruma as malas

E sai por aí...



Enquanto fico sentada no sofá da sala!





Marluce Freire Nascasbez

17 comentários:

  1. Marluce, tenho um poema parecido com este, veja só:
    Há dias que saio de dentro de mim
    fecho a porta de entrda
    espalho-me por aí
    feito chuva
    feito ventania
    feito pensamento
    feito tempo...
    Não dou espaço à solidão.
    ..............................................
    Bj*

    ResponderExcluir
  2. Olá Marluce
    E nessa viagem, sempre fica o encantamento do que poderia ser, mas não é.
    Bjux

    ResponderExcluir
  3. Marluce, minha querida.

    Tãooooo eu isso, tão eu....

    Inimaginável ficar sem passar aqui, nesse esoaço tão lindo. Que fala tanto comigo.

    Um abração, bom fim de semana, minha amiga querida!

    ResponderExcluir
  4. .

    Marluce, querida...

    Esse eu que você descreveu, sou eu. rsrs

    Saio tanto de mim, que até tenho em não voltar mais.

    Deixo beijos e meu carinho.

    .
    .

    ResponderExcluir
  5. Isto é viajar no tempo sem precisarmos arrumar malas e comprar passagens.

    Bj

    ResponderExcluir
  6. Marluce, linda menina sertaneja...

    Que beleza há em teus pensamentos!

    Creio que todos nós já “nos abandonamos” em algum momento de nossas vidas...
    Escrevi um poema num desses momentos da minha vida. Chama-se “vazio”.
    Ainda não postei, mas quem sabe um dia...
    Aqui vai um trecho pra vc em primeira mão:

    Hoje eu acordei muda
    Por opção.

    Não vou lançar ao ar
    O som de minhas palavras.
    Nem jogar ao vento
    Pensamentos lentos...

    Pois minha alma tirou férias,
    Escafedeu-se!
    E ausência de alma
    É tudo que um artista precisa
    Para ser impedido de criar.

    Um beijo, fica com Deus!

    ResponderExcluir
  7. Oi, Marluce,

    tb saio por aí, às vezes nem dá tempo de fazer as malas... e são tão boas as viagens!

    Um abç de Betha

    ResponderExcluir
  8. Não deixe morar dentro de você
    O que na vida não valeu a pena.

    (Pe. Fábio de Melo)

    Te desejo uma semana abençoada.
    Beijos e carinhos meus! M@ria

    ResponderExcluir
  9. Olá Marluce,

    me encanta o teu poema e o teu cantinho.

    Te sigo desde Portugal e convido-te a visitar o meu Estados de Alma, espero que te agrade e me sigas também.

    Deixo-te um beijo desde este lado do atlântico.

    ResponderExcluir
  10. Marluce, queridaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.

    Olha a sintonia: Eu aqui te deixando ,um abraço, quando recebo esse seu carinho tão bom, tão cheio de luz.

    Amiga abençoada, você!!!

    Meu abraço de boa noite!!!

    (Nem me fale em net, a minha tem me surtado rs)

    ResponderExcluir
  11. Querida Marluce!

    Faço isso a todo instante, basta ter uma mínima chance!

    Beijos! Saudades de ti!

    Suzana/LILY

    ResponderExcluir
  12. Me vi aqui , Marluce !
    Lindo ...
    Te Sigo em sua poesia.

    Bjo.

    ResponderExcluir
  13. Acho que é coisa de poeta... rs
    muito bem descritas nossas fugas... nossos momentos de letargia...

    ResponderExcluir
  14. Vim deixar um abração pra ti, minha querida!

    ResponderExcluir
  15. .

    Marluce, querida!

    Você quem me imensa com suas palavras.

    Agradeço o carinho. Te deixo o meu.

    Beijos e muitos sorrisos

    .
    .

    ResponderExcluir
  16. Amiga, teus comentários me deixam muito feliz!

    E teus versos embalam minha alma. Além do mais, encontro aqui Cecilia Meireles, Cora Coralina, Mario Quintana, Clarice Lispector... O que mais eu posso querer?

    Um bjo enorme.

    ResponderExcluir