Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



segunda-feira, 18 de outubro de 2010


.
.


Eu nasço flor por toda parte,


Encontro frestas de mim e saio

Para ser flor!



Desafio qualquer obstáculo, até as pedras abrem caminho,

Sabem que nada me impede,

Quando quero ser flor!




E ainda dou sombra para uma poetisa que há em mim!




Marluce Freire Nascasbez
.
.

13 comentários:

  1. Marluce... quanta inspiração nessa noite!!!

    Eu... amante de flores e rosas... meu blog é um jardim! Fiquei encantada com vc nascendo "Flor"... e as pedras abrindo caminho! E ainda sobra para si mesma... isso é lindo demais...!


    Obrigado por banhar minha noite de magia e poesia!

    Beijo
    Sil
    Sempre aqui

    ResponderExcluir
  2. Oi Marluce... suas Veredas me deixam feliz... na visita que me fez... quanto carinho! Obrigado!


    Beijo
    Sil


    Obs: Errata!!!No comentário anterior... Não é "sobra" é "sombra"... rsrs! É a pressa e o cansaço sabe!?!

    Me deculpe...

    ResponderExcluir
  3. E dá também alegria a todas as pessoas que participam de sua beleza em poesia.

    Sempre feliz ao vê-la lá no Poesia Torta, sempre um prazer vir aqui e me deparar com a doçura das suas linhas, Marluce.

    Beijo sempre grande. =*

    ResponderExcluir
  4. Marluce,

    Tudo tão lindoooooo aqui!

    Eu vejo flores em você!

    Beijooo meu!

    ResponderExcluir
  5. Ao morrer, tinha certeza, ao invés de pó, viraria pólen...
    É que em vida, carregava o aroma e a suavidade das flores em si.
    Era nela sempre tempo de florir.

    ...Erikah Azzevedo...

    Tb sou de flores, Marluce, sei fazer-me primavera qdo o inverno quer ameaçar aparecer em mim.

    Meu beijo.

    Erikah

    ResponderExcluir
  6. Marluce, seu espaço é lugar cativante. Abrigo para quem gosta de poesia visceral com elevado nível de qualidade. Um afetuoso abraço, grato pela visita e participação na Egrégora: carrancas literárias.

    ResponderExcluir
  7. E que essa poetisa tenha sempre na alma o perfume dessa flor,,,desse jardim que plnata...beijos de bom dia.

    ResponderExcluir
  8. Marluce, lindoooooooo esse poema. Mas além da beleza, nos transmite uma forte lição de vida
    Uma flor, tão frágil, vence obstáculos...

    Belo, belíssimo!

    Um bjo gde, amiga.

    ResponderExcluir
  9. Marluce ,


    Que coisa mais linda essa poesia !
    Adorei ,... te vi e te vejo sendo sempre Flor.


    Encantada com tudo aqui ... :)


    BJo Imenso e obrigada por
    seu carinho de sempre.

    Te Gosto Muitooooo ..

    ResponderExcluir
  10. Oi, Marluce,

    é que as flores são teimosas, mas não aparentam, porque têm uma suavidade singular. por isso, são sábias e temos muito a aprender com elas!

    abç

    Betha

    ResponderExcluir
  11. Querida Marluce...

    Venho agradecer o carinho de sua visita! Então... somos duas "intensas"! rsrs

    Que bom! A vida desfrutada com intensidade tem mais sabor... doce e meio amargo as vezes...mas tem sabor!!! rs

    Vejo que visitou o Luiz e ele já está te seguindo... fico feliz!

    Linda noite!
    Deixo beijo
    Com carinho
    Sil
    Sempre aqui

    ResponderExcluir
  12. que bom conhecer teu blog.
    Tenha um dia feliz.
    Maurizio

    ResponderExcluir