Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



terça-feira, 26 de outubro de 2010

Do amor...

.
.
O inquieto coração


Que pulsa em meu peito,

Às vezes salta fora dele

Decidido a abandonar-me,

Só porque o aprisiono ao cativeiro,

Não quero amar de novo...

Só por isso ele quer romper o elo comigo...




Insatisfeito,


Intranquilo,


Desinquieto,

Arredio




Ele atormenta-me querendo amar de novo,

Diz não querer viver de solidão...



E eu o vigio!



Finjo não sentir o acelerar dele de vez em quando...




Pode dentro de mim se debater, pois tenho que me dedicar mais

A mim mesma...

Digo não a viver de servidão ao amor!




Em minhas noites de insônia, imponho-me a lembrar à sua causa...

E ao entrefechar meus olhos já pesados do cansaço, num instante sonho ao que põe meu coração ao alvoroço...




E acordo prá dizer a meu coração que a vida é tão diferente fora dele, mais feliz...

Mas ele nega e renega e me quer a viver no frenesi do amor!




Faz beicinho,

Fica indiferente,

Desgarrado de mim...




Prá viver de bem com ele, tive que ceder!




...estou a amar de novo!






FICÇÃO


Marluce Freire Nascasbez
.
.

6 comentários:

  1. Marluce, queridaaaaaaaa!

    E bota coincidência nisso rs.

    Bem por ai,o amor!

    Ahhhh, o amor.... rs

    Beijo, minha amiga lindaaaaaaaaaa!

    ResponderExcluir
  2. PS:

    E nem sei como ficarei quando esse novo amor tomar o mesmo destino do amor que acabei de desamar, de desabrigá-lo de dentro mim...

    TUDOOOOOOOOOOOO isso, minha amiga!!

    ResponderExcluir
  3. Amiga, querida,

    Que lindoooooooo esse poema, vc se superando sempre...
    Sinto um arrepio toda vez que leio seus poemas!

    Que bom que o coração ganhou. Estava mesmo torcendo por ele desde o inicio.

    Um bjo enorme, fique com Deus.

    ResponderExcluir
  4. Oi Marluce... Querida Amiga!

    Que lindo esse poema... A vida é mais livre sem o amor... mas como ele faz falta no peito... acho que por isso sou prisioneira dele! Porque ainda não aprendi a vigiar meu coração e não resisto aos seus "beicinhos"... rs

    Linda noite... dias de paz!

    Deixo beijo
    Com carinho
    Sil
    Sempre aqui

    ResponderExcluir
  5. O amor sempre nos desafia... e sendo ou não uma ficção, consegue ser tão real. Bonito poema ao sentimento mais cantado e contraditório... "Sinônimo de amor é amar"!

    abç

    Betha

    ResponderExcluir
  6. Muito bem elaborado, Marluce!
    (A vontade do coração é incontornável!)

    Beijo :)

    ResponderExcluir