Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



terça-feira, 6 de abril de 2010




Mendigos?



À noite ele encosta-se para dormir
Nos braços frios de ninguém
E puxa do saco o lençol maltrapilho
Que lhe cobre o coração do mesmo tecido...
E uma cadela rabugenta,
Andarilho de rua
Rouba-lhe um pedacinho dos trapos que lhe cobre o corpo
Para aquecer-se também!
E encobertos pelo mesmo lençol,
Misturando-se as carnes,
Esquentado as almas
Tocadas pelo simples carinho
De repartir o descanso,
De dividir o beijo da lua cheia
De vontade de estar entre os dois
Dividindo aquele céu!






Marluce Freire Nascasbez

2 comentários:

  1. Marluce,
    Que prazer foi descobrir você, inundada de tanta inspiração. Li vários dos seus poemas e invejei-a por ter tanta facilidade com as palavras, todas bem colocadinhas, nos seus devidos lugares. Parabéns pelo seu trabalho.
    Eurico de Andrade, de Tabuí.
    http://tabui.blogspot.com/

    ResponderExcluir