Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



quarta-feira, 3 de novembro de 2010

. .



.
.

Serei para sempre aquela menina condoída com as dores do Patinho Feio,

Que vibrava ao vê-lo descobrir-se um belo cisne!



(Em muitas vezes que lesse a história!)


Marluce Freire Nascasbez
.
.

10 comentários:

  1. Eu era o próprio pato feio. Ou melhor, a pata. Daí, abri a porta do meu armário, me olhei no espelho e procurei a mudança. Deu certo! A pata ficou no passado, nem a lembrança carrego, apenas sei do fato.

    Beijos!

    ResponderExcluir
  2. Que os cisnes e os patinhos (feios ou não) dividam as mesmas águas (calmas ou não)...
    Bj*

    ResponderExcluir
  3. Olá!
    Vim retribuir sua visita!
    Suas palavras são especiais, seu cantinho é delicioso.
    Tenha uma ótima noite!
    Carinhosamente, Lady.

    ResponderExcluir
  4. Olá Marluce
    Podemos envelhecermos mas "perder a ternura jamais".
    Beijos

    ResponderExcluir
  5. Como é agradável passear por estas veredas! Marluce, grato pelas visitas e palavras incentivadoras. Carinhoso abraço da Egrégora: Carrancas Literárias

    ResponderExcluir
  6. O importante é nunca deichar de ser criança, e ter a beleza da alma. Beijos

    ResponderExcluir
  7. A empatia e seus mitos.
    Mitos que embala[ra]m as tantas carências (não importando a idade). Teu texto me fez lembrar um livro que gosto e que explora os vários mitos (dentre eles o patinho feio)
    - chama-se "mulheres que correm com os lobos) de Clarissa Pinkola Estes...



    P.S.

    Cheguei aqui pela leitura de blogs em comum.

    Grande abraço,

    ResponderExcluir
  8. Querida Marluce, obrigada pela visita no Adiemus, suas palavras carinhosas é alimento para a alma.
    Gostei muito do seu Blog, textos sensíveis e puros, como deve ser a alma humana.
    bjs
    Mara Bombo

    ResponderExcluir
  9. Marluce, minha linda!

    Eu sempre serei essa menina./
    Ela vive em mim!

    Beijo minha queridaaaaaa, do blog lindo, da alma mais linda ainda!

    ResponderExcluir
  10. A fábula do patinho feio sempre foi a minha preferida.
    Que chato seria o mundo se todos fossem iguais. Viva a diversidade!

    ResponderExcluir