Quando escrevo sinto a vida asfixiando a morte!



Marluce Freire Nascasbez


Charme? Caráter? Fosse o que fosse, ela tinha isso.


Virginia Woolf



domingo, 7 de novembro de 2010

A poetisa

.
.
.

Arquivo pessoal
.
.

Para não envelhecer o âmago,

Eu escrevo, esfolio a alma,

Assim, não envelheço, nem morro,

Vivo de nascenças...



É escrevendo que depuro meu íntimo,

Socorro-me, assim, do que envelheço,

Porque eu nunca avelhento de tudo,

Nem fico mais moça,

Nem perco da alma, nem do corpo, o enlevo,

Protejo-me da ação do tempo,

Eu escrevo! E enterneço o meu espírito dolente,

O qual é o norte da minha existência,

E liberto-o da prisão do tempo que cumpro em domicílio...




Escrevendo,



Assim, não envelheço, nem morro,

Vivo de nascenças...

.
.
.
Marluce Freire Nascasbez

.
.





19 comentários:

  1. A escrita não tem tempo, ou melhor, atemporal, por isso, vc nunca envelhecerá!
    Beijos e uma boa semana!

    ResponderExcluir
  2. Marluce,

    Minha amiga lindaaaaaaaaaa...

    O queeeee eu posso dizer de um texto tão lindooooooooo desses???

    Apenas que eu também Vivo de nascenças...

    Um beijooooooo meu!!!

    ResponderExcluir
  3. Você é uma benção, Marluce.

    Só o que consigo dizer.

    Não tem um dia que não agradeço a DEUS pelas pessoas que ele coloca no meu caminho, como você.

    Um beijo meu!!!

    ResponderExcluir
  4. Marluce ,

    Linda sua poesia sobre o tempo e o escrever ...
    Concordo com Franck , serás sempre jovem , amiga querida.



    Bjo e uma Noite de Paz ...

    ResponderExcluir
  5. Marluce querida, quanta sabedoria em teus versos. A escrita tem este dom de magia, de nos fazer viajar no tempo e no espaço...
    texto primoroso como todos os teus.
    Beijos

    ResponderExcluir
  6. Vim agradecer pelo comentário no meu blog e de cara já fiquei impressionada com a paisagem da mata ai em cima no blog.Tem algo nela que me remete à minha infancia...dá um misto de saudade e tristeza...nao sei definir ao certo...Ah...virei seguidora ,ok?Beijos!Não me esquece,viu?

    ResponderExcluir
  7. Muito lindo,,,escrever é a mais pura expressão de alma e coração...beijos de bom dia pra ti.

    ResponderExcluir
  8. Marluce,

    Que maravilha de texto!
    Eternizando palavras e imortalizando sua essência.
    Aliás, adorei a frase que ilustra seu header: "Quando escrevo, sinto a vida asfixiando a morte!".

    Bjos ;)

    ResponderExcluir
  9. Olá Marluce
    E renascemos a cada dia, e nesse renascer floresce as esperança de um dia melhor.
    Bjux

    ResponderExcluir
  10. Saber envelhecer é desvendar os segredos da juventude que permanece para além de todas as idades.
    Jorge Manuel Brasil Mesquita
    Lisboa, 10/11/2010

    ResponderExcluir
  11. Não importa se choramos ou se sorrimos , o importante é que emoções vivemos!
    Belas palavras!
    Bjs!

    ResponderExcluir
  12. Olá Marluce,

    escrevendo nos delicias com versos que alimentam a alma e rejuvenescem o espírito.

    Um beijo.

    ResponderExcluir
  13. Marluce,



    Vim te reler e deixar Bjo de Boa Noite .



    PS:
    Que bom que está gostando
    do site ! ;)

    ResponderExcluir
  14. Que lindo! Os poetas não envelhecem e nem morrem. Renascem a cada instante atravéz dos seus versos quando são lidos.

    Maravilha, amiga.

    Um bjo enorme.

    ResponderExcluir
  15. Não, não se envelhece, pelo menos a escrever como o faz.
    Adorei, Marluce!

    Beijo :)

    ResponderExcluir
  16. Quando passamos por aqui vamos aumentando pouco a pouco a certeza da imortalidade. Um abraço e um beijo carinhoso

    ResponderExcluir
  17. Seus versos são como balsamos para alma. Beijos Amelia

    ResponderExcluir
  18. Olá marluce!
    Saudades.
    A vida mais nos apetece qunto mais carinho recebemos dela.
    Você enaltece carinhosamente nossas vidas!
    Um forte abraço do Sudeste pro Nordeste!

    ResponderExcluir
  19. Passando para lhe desejar um ótimo fim de semana e agradecer pelas visitas e comentários lá no blog.
    Bjos ;)

    ResponderExcluir